domingo, 12 de julho de 2015

Naty Pelo Mundo ataca novamente! - E dessa vez pelo mundo MESMO!-

Olá meus amoreeeeeees!!!!

Eu já estava MORRENDO de saudades de escrever aqui no blog os meus textos sobre minhas aventuras aqui no estrangeiro para todos vocês que perdem seu tempo leem sobre as minhas histórias e fatos aqui.
Pois bem, fiz uma postagem avisando que estaria um pouco off aqui, saí, viajei, rodei um pouco por essa Europa, passei por apertos, dificuldades, felicidades, fiz idade nova, e agora cá estou, com meus novos 20 anos nas costas para começar a contar para vocês o que eu fiz!

Mas vai ser pouco e rápido, pois amanhã mesmo já vou por a mochila nas costas e me mandar para mais uma aventura de 14 dias. Então aproveitem para ler o início da minha aventura por aqui, porque lá vem outro hiato pela frente!

Lisboa-Dublin

Começamos o nosso mochilão no dia 28 de junho de 2015, eu, Vivi, e duas mochilas abarrotadas de coisas nas costas. Entramos num ônibus aqui em Coimbra às 2 da manhã rumo a Lisboa. Descobrimos que os primeiros horários dos autocarros que saem daqui de Coimbra para Lisboa tem como primeira parada o aeroporto.
Apesar do nosso vôo ter sido às 10:50 da manhã, resolvemos ir no primeiro ônibus para chegar o quanto antes e poder ficar lá relaxada. Pura ansiedade!!! Chegamos cedo demais, e acabamos que nem dois zumbis com sono.

Nosso primeiro destino escolhido para o mochilão: Dublin, na Irlanda! 
Conseguimos uma tarifa MARAAAA da empresa Low-Cost Ryanair para irmos a Dublin. Pagamos apenas 34 euros as duas juntas. Barato não é? Aqui na Europa o que mais tem para se viajar é empresa aérea Low-Cost, em que você paga baratíssimo, e viaja o continente TODO! A Ryanair é uma das milhões delas, e aqui o pessoal viaja bastante com ela!
Como não somos cidadãs da União Europeia, tivemos de pegar nosso cartão de embarque e levar até o balcão da Ryanair para que fosse carimbado. Esse é um procedimento que todos não-cidadãos da UE precisam passar. Não me perguntem o porquê.

Próximo ao horário de embarque, eu e Vivi fomos passar por aquela parte mais chata das viagens: O Raio-x!!!
Aqui eles são linha dura na fiscalização. Nas empresas Low-Cost você só viaja com a mala de mão com as dimensões permitidas pela empresa. Caso sua mala seja maior, você tem de pagar para que ela seja despachada. Outra coisa que é super rigorosa aqui é quanto aos frascos com líquidos na mala. Você só pode levar frascos com 100 ml, e eles devem estar em sacos lacrados que você encontra nos aeroportos. Como não sabíamos, tentamos passar com nossas mochilas normal, mas fomos paradas e os funcionários olharam nossas mochilas.



O vôo foi super tranquilo e agradável, e em pouco mais de duas horas, a gente já estava em solo Irlandês. Eu nem podia ACREDITAR !!!!
Sempre sonhei em ir para a Irlanda, e quando vi a bandeirinha Verde e Laranja tremulando do lado de fora do aeroporto, quase tive um treco.
Algo a se saber sobre a Irlanda: As pessoas são super simpáticas, gentis, e AS MAIS LINDAS que já vi aqui pela Europa.
Não tem inglês, francês, italiano, ou espanhol que derrube a beleza dos irlandeses! As mulheres são lindas, super produzidas e maquiadas, e os caras... Bem, a sua vontade é de por um anel de casamento no dedo de todos e chamá-los de seu. De atendente de supermercado, a músico de banda, eles são LINDOS!


Recém-chegadas na Irlanda, procuramos logo um mapa da cidade e depois, tínhamos de nos deslocar até o centro da cidade. Pegamos um ônibus (normal da cidade) para o centro. Era o ônibus 16, e pagamos por volta de 3 euros apenas.
Durante o percurso até o centro, vimos o quão linda é Dublin! A cidade tem uma atmosfera diferente, a vegetação é bem verde, e a arquitetura é diferente de tudo o que já vi. Totalmente encantador!
Descemos na paragem próxima a onde ficaríamos hospedadas e começamos a andar seguindo o GPS. O problema foi que depois daí ficamos quase 3 horas andando em Dublin... Totalmente perdidas.


Sempre com o mapinha em mãos!

A essa altura, eu já tinha feito umas 3 bolhas nos pés e não aguentava mais rodar com mochila nas costas. A gente não conseguia achar o endereço da casa (pois fizemos Airbnb de novo), e eu já estava detestando Dublin totalmente. Eu estava certa de que São Patrick me odiava e estava brincando comigo para testar meus limites.
Resolvemos então pegar um taxi, achando que seria a solução para os nossos problemas. Não foi. O taxi nos levou a um endereço errado!
Tentamos então pedir informação e ir andando. Foi ai que descobrimos que apesar dos irlandeses serem simpáticos e solícitos, eles tem o PIOR inglês da face da Terra!  Eles falam rápido, e o sotaque é péssimo de entender.

bolhas nos pés, mas sorriso no rosto!
 Quando a gente já não tinha mais esperanças, uma senhora nos ajudou dando informação, e finalmente chegamos a casa! UFA!!!
Nossa anfitriã (Kate) era um amor de pessoa, foi super simpática, prestativa e atenciosa. Ela e seus colegas de casa nos receberam super bem, nos ajudaram com nossas dúvidas e foram maravilhosos.
Pelo menos isso não é?

Então, gostaram do início da aventura? Volto depois para terminar de contar!

Nenhum comentário:

Postar um comentário