sexta-feira, 31 de julho de 2015

Meu Mochilão: Dublin

Já liberei para vocês um post contando de modo sucinto como foi o início do meu mochilão, mas não entrei em detalhes. Agora cá estou eu para tentar trazer para vocês todos os detalhes possíveis e ajudar quem tiver interesse de seguir os mesmos destinos que eu segui.

Bem, vou começar dizendo a vocês sobre a nossa escolha: Quando eu e Vivi sentamos para decidir os lugares que iríamos conhecer no mochilão, fizemos uma lista com todas as cidades e países que não poderíamos deixar de conhecer. Foram provavelmente mais de 20 cidades, e o nosso desejo era de conhecer todas elas.
O problema é que nós não tínhamos tempo nem dinheiro o suficiente para conhecer todas aquelas cidades, então optamos por uma outra medida. Começamos então a riscar algumas cidades da lista até que sobrassem aquelas cidades que para nós significava REALMENTE muito. Uma dessas cidades foi Dublin, a capital da Irlanda.

A paixão de Vivi pela cultura celta, a nossa admiração por pessoas ruivas, e o desafio de ir a um país de língua inglesa nos guiou até Dublin. Nós não falamos inglês fluente, e este seria, de fato, um grande desafio.
Compramos as passagens pela Ryanair, uma empresa Low-Cost irlandesa muito popular aqui na Europa, e começamos a procurar hospedagem pelo site Airbnb. Já utilizei o site antes em nossa viagem pelo Mochilinho em Portugal, e realmente recomendo a quem vem para cá e deseja viajar, pois é uma solução bastante barata (mais que os hostels), e que você pode conhecer pessoas locais que te indicarão os melhores pontos da cidade para conhecer.

Achamos uma hospedagem próxima ao centro de Dublin por um bom preço, entramos em contato com a anfitriã, e reservamos assim que pudemos. Nossa estadia em Dublin seria entre os dias 28 de junho a 30 de junho.
Gastamos 30 euros por noite na hospedagem, e 34 euros (as duas) na passagem para Dublin. Passagens e hospedagens pagas, pesquisamos sobre o clima da cidade na época que iríamos, e começamos a procurar as melhores formas de sair do aeroporto de Dublin para o centro. Por sorte, o site Vida na Irlanda nos foi muito útil e trouxe todas as informações de ônibus que precisávamos! Se você precisa do link, é só clicar AQUI.

Muito importante de se saber para quem vai a Dublin ou a qualquer país do Reino Unido, é que o visto Schengen que temos para os países da Europa como Portugal, Espanha e França não inclui o Reino Unido. Ou seja, apesar da Irlanda fazer parte da União Europeia, você precisa de um visto para o Reino Unido para entrar nela. Por sorte, o Brasil possui acordo com a Irlanda que permite que Brasileiros entrem em seu território a turismo sem o visto.
Quando estávamos no aeroporto de Lisboa para embarcar para Dublin, o funcionário da Ryanair do balcão de Visa Check não queria nos deixar embarcar por nós não termos nenhum visto para a Irlanda. Achamos que ele estava na verdade fazendo aquilo para nos assustar, pois logo depois ele ligou para outro setor que liberou nossa passagem. Caso isso aconteça com você, continue calmo e explique que vai a Irlanda como turista. Para comprovar, tenha sempre em mãos os bilhetes de regresso impresso para comprovar que você vai, mas volta.

Embarcamos para Dublin felizes e contentes, e chegando lá o clima estava bem mais frio do que em Portugal. A Irlanda é super conhecida pelos seus dias cinzentos e ausência de sol, então aquele era um dia bem comum. 
Como saímos de um espaço e estávamos entrando em outro, tivemos que passar por uma velha e conhecida etapa: Imigração
Não havia fila, e rapidamente fomos atendidas. A oficial nos perguntou quantos dias nós ficaríamos em Dublin, de onde estávamos vindo, onde íamos ficar, para onde íamos depois, e o que conheceríamos na cidade. Todas essas perguntas são normais, e eles fazem para ter certeza de que as pessoas estão indo a turismo. É bastante normal que eles peçam comprovativo de alojamento, e a passagem de regresso (nos pediram, e nós tínhamos tudo em mãos). Depois disso, ela carimbou nossos passaportes e pudemos ir.

Para sair do aeroporto até o centro da cidade, optamos pela solução mais barata: o ônibus comum. Há duas linhas que passam pelo aeroporto, e nós escolhemos a linha 16. O valor do bilhete foi mais ou menos 3 euros, e nós o compramos em umas máquinas que ficam no próprio ponto, pois para comprar dentro do ônibus eles só aceitam o pagamento em moedas.
Fomos até o centro da cidade, observando a cidade, e tenho de dizer o quanto Dublin é linda! A cidade tem uma atmosfera e arquitetura própria. Nós contemplamos a cidade pelo ônibus, e quando descemos, começamos a rodar em busca da casa do nosso anfitrião... Por quase 3h!!!!

A verdade é que nos perdemos em Dublin. O mapa que conseguimos no aeroporto não trazia a rua em que tínhamos que ir, e nós rodamos que nem duas doidas pela cidade. Para piorar, nosso celular estava fora de área e nós não tínhamos internet. D=
Neste momento, a única coisa que eu pensava era que São Patrick me detestava! HAHAHAHA
Mas ao fim, por sorte, pegamos informação com uma senhora super gentil que nos ajudou a encontrar a rua da casa onde ficaríamos. Nossa pobre host (Kate) ficou morrendo de pena de nós quando lhe contamos que nós tínhamos nos perdido. Ela fez de tudo para nos ajudar a nos sentir bem, nos mostrou a casa, e foi super solícita quando pedimos dica de transporte de volta ao aeroporto.

Chegamos em casa e a única coisa que a gente queria era um banho, comer, carregar os celulares e
dormir... Não deu muito certo. As tomadas do Reino Unido são uma loucura!!!
Além da direção dos carros ser do lado contrário, do sentido das ruas também ser ao contrário, as tomadas ainda são totalmente diferentes!
Ficamos doidas por não poder carregar os celulares. A minha sorte, foi eu ter comprado uma bateria externa em Coimbra, que me salvou um pouco.
Acabei achando um adaptador no dia seguinte na Euro Store, lojas baratex que vendem um pouco de tudo. Você encontra delas no centro de Dublin, mas os adaptadores custarão um pouco caro (cerca de 4 euros), então tente comprar antes de ir ao Reino Unido, pois sai mais em conta.

No próximo post vou trazer mais informações sobre os nossos passeios na capital irlandesa. Aguardem!

Nenhum comentário:

Postar um comentário